fatal hamartia
Estamos em 438, datado pós a estadia da luz
/////////////

LISIEUX, Gwenaëlle

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

LISIEUX, Gwenaëlle

Mensagem por Drusilla Morgenstern em Dom Jul 31, 2016 3:46 pm

"Eis que surge uma nova heroína, aquela que se quer temeu enfrentar desafio de navegar pela caminho ao qual lhe trouxe à nós. Devo então, questionar-lhe o maior mistério: quem és o ser divino frente a mim?", ouço o homem dizer.

"Maravilhoso!"

Sua animação era um tanto quanto irritante mediante ao que havia respondido. "Peço tão somente que aguarde enquanto faço as minhas anotações. Novamente...", ele veio a continuar, retornando com uma pausa enquanto parecia relembrar tudo aquilo que eu havia dito.

"Gwenaëlle Lisieux, nascida em TRÊS de ABRIL, tendo DEZENOVE anos, uma filha de MARTE, especificamente, uma guerreira, certo?", ele questionou. Havia repetido todas as informações dadas por mim. Aquilo era sério? Pude tão somente assentir, remetendo aos poucos fatos que me eram importantes no passado, fatos que remetiam a minha história, a quem eu realmente era.

And i still remember
Your sweet everything
Light a roman candle

Dentre as flores ela desabrochou. Nascera na estação da primavera, tomada pela fragrância das gardênias e desprovida da beleza delicada das rosas. Sua progenitora sim fora uma linda mulher — tanto por fora quanto por dentro.  Era uma modelo e ativista, seguia tentando mudar a indústria da qual fazia parte miseravelmente. Conhecera o progenitor em um festival de flores, onde se exibia com um longo vestido tomado por flores afrodisíacas. Conta que ele aparentava ser um homem severo, que ostentava poder — mas fora o raro e único sorriso em meio de uma conversa que aquiescera seu coração. Nove meses posteriormente fora presenteada com uma criança que carregava tudo aquilo que era desprovida. Era uma criança feia. Crianças costumam atrair olhares por seus sorrisos doces, trejeitos inocentes e a hiperatividade para brincadeiras mesmo após o por do sol. Gwenaëlle não possuíra tais características e acredita que o falecimento de sua mãe fora por desgosto por tal. Detesta-a, diferente do sentimento que nutre pela divindade que a tornou o que é.

Criada pelos avós maternos, tivera uma infância turbulenta tomada por uma rebeldia constante. Metia-se em brigas tanto físicas quanto verbais por motivos banais. Qualquer regra que tentavam impor eram quebradas por seu temperamento explosivo. As madeixas escuras viviam emaranhadas em um ninho, as vestes eram sujas e rasgadas pelas brincadeiras perigosas das quais se atrevia. Seu desempenho no colégio era quase nulo, maestria apresentava em escapar das suspensões que ganhara antes das expulsões consecutivas. Uma criança sem rumo, um caso perdido.

Fora com a chegada de sua puberdade que fora perseguida por uma criatura humanoide que recebera resgate. Um grupo de adultos e adolescente tentou convencê-la que não pertencia ao mundo que cresceu. E o único motivo de ter aceito segui-los fora com a intenção de trazer mais dor de cabeça para seus avós. A viagem fora turbulenta, foram seguidos por criaturas marinhas pelo número alto de semideuses. Não fora a única resgatada, havia um menino assustado na embarcação que berrava a cada movimentação das águas que não pertencessem ao barco. Faltavam poucos metros para que conseguissem chegarem ao primeiro cume que exibia a ilha quando a embarcação fora atacada. Gwen é incapaz de recordar da aparência da criatura em meio ao desespero, mas sobreviveu. Em base de sua covardia, sobreviveu.

O primeiro passo que dera na terra prometida fora recebida com uma maldição. Uma voz raivosa e estridente ecoou por seus ouvidos, incoerente tamanho o nervosismo. A partir dali sua aparência mudou. Não era a pessoa horrenda que amava ser, agora se tornara tudo aquilo que desprezava. Loura e com os seus olhos azuis, confundia-se com  alma que matou para prevalecer. Tivera que assassinar a sangue frio uma prole de Afrodite para que tivesse a chance de escapar, derramando o sangue alheio e culpando aquele que destroçou o restante. Percebeu por fim que era feliz tendo sua aparência anterior, desprezando profundamente os elogios voltados a sua beleza atual. Enfrentou desafios imensuráveis para conquistar o ofício presente, principalmente a descrença daqueles que a seguem ao ver uma moçoila tão jovem e bela no poder. Tornara-se finalmente a criatura que mais desprezava, e luta internamente pelo contrário.

And i heard it in the wind
And i saw it in the sky
And i thought it was the end

_______



♕ drusilla morgenstern; filha de érebo, senhora das frotas navais. residente do primeiro distrito e só as minas dá uns beijos nela;

♠️

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: LISIEUX, Gwenaëlle

Mensagem por Calypso em Dom Ago 07, 2016 8:02 pm

A cidadela te espera, meu caro. Nós sabemos perfeitamente que sua sobrevivência fora algo difícil de conquistar em sua juventude. Justo deve ser que possa construir sua vida novamente. Sophrosyne é toda sua, herói.


  • Aqueles nascidos do pai da guerra sangrenta, o sinônimo de um real guerreiro, criado em sob sua majestosa armadura;



  • Sendo uma das melhores guerreiras que a cidadela já viu, você se destacou entre seus demais, tornando-se um dos membros da cúpula.





  • Nomeada como “punho de ferro”, a manopla fora feita sobre medida a mor genuína. Feita bronze celestial, seu corte fora destinado ao bestiário mitológico e seu impacto aos infratores da lei. Leva em forma as características felinas, já que em suas extremidades há garras afiadas. Há a existência de engrenagens em seu antebraço donde, quando ativada por seu portador, jaz uma lâmina retrátil feita da mesma matéria-prima que a reveste. Cravado em sua superfície o lema de sua dona, acompanhado de ornamentos de pedras preciosas como rubis e topázio imperial.


  • em breve.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum