fatal hamartia
Estamos em 438, datado pós a estadia da luz
/////////////

— HABILIDADES, filhos da boa morte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

— HABILIDADES, filhos da boa morte

Mensagem por Cão do Inferno em Seg Maio 01, 2017 6:54 pm

De tonalidade alva, parecem ter deficiência do pigmento dérmico, assim como os fios claros, quase sem vida, eles exalam exatamente o elemento dos descendentes e senhores submundanos. Refer-se à solidão. Involuntariamente, ou não, a preferência é o andar sem acompanhantes. Sinceros com os próprios, têm o conhecimento que em nem um momento encontram-se isolados, já que são rodeados por seres sem animações mundanas e físicas. Evitam trocar muitas palavras, devido ao temperamento fúnebre, facilmente irritadiço, temendo cometer um crime sem devida necessidade.





i. olfato, és como um animal de raça canina, ou seja, tem como principal sentido o faro. É tão apurado quanto os outros para apreciar um empecilho em particular: a podridão. Tuas narinas desfrutam da capacidade em saber captar o cheiro de decomposição há quilômetros de distância, auxiliado pelo o senso nato de direção, assim, podendo localizar o cenário de um crime através.

ii. visão, teus olhos dotam uma propriedade incomum, fora o brilho singular que emitem. Com eles, tu, cria da boa falência, vê o que pode acontecer com alguém que o rodeia. A precognição é restrita a um fato só: a morte; só verás quando determinado alguém terá o fio de existência corrompido por uma razão, caso o acontecimento esteja próximo ao dia em que data o calendário.

iii. audição, tens ligação tênue ao plano superior com o sentido da audição. Ou inferior, para ser mais preciso. Mesmo que não possa enxergá-los, os mortos, os quais habitam e vagam o terreno, sentem a tua presença como um vagante entre ambos os mundos. Caso seja do feitio e/ou da vontade deles, podem entrar em contato contigo, podendo render-te uma informação necessária para o teu próprio bem ou de outro. Mas, precisa ter cuidado, meu caro, pois os mortos são traiçoeiros.

iv. ceifeiro, a mãe, aquela que te deu a luz, é um dos símbolos mais puros do fim como o deus ceifeiro também é. Podem-se relacionar ambos por intermédio da atribuição semelhante dada às duas divindades menores. Como a ceifeira da morte feliz, tu, filho do ser divino, porta arma semelhante ao segundo deus; a foice. A ferramenta, empunhado pelos palmos e prendidos pelas falanges, é transformada em um objeto vorazmente mordaz, perigoso a quem tente se opor aos teus ideais.

v. sombra, sombra, o efeito de consequência da projeção de um campo de luz contra uma matéria qualquer. Como neto do senhor dos caídos, administrador do reinado tomado por falecidos, a sombra sempre será tua aliada. Porém, não são sombras que se curvam ao teu favor, e, sim, a tua sombra. Quando passar por necessidade, esta que possam agravar no teu falecimento, ela reage da forma que achar mais conveniente para proteger-te.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum